Quintal do Samba - Crônicas de uma cidade

15/10/2017

por Grupo Quintal

Primeiro evento "A Cidade e o Samba", 2016.
Primeiro evento "A Cidade e o Samba", 2016.

Um samba sempre floresce de um quintal...
É o lugar na morada que a natureza se faz presente
Que os pés descalços se arrastam ao calor da terra quente
É ali que uma raiz se alimenta e cresce livre

É o lugar na morada que a natureza se faz presente
Que os pés descalços se arrastam ao calor da terra quente
É ali que uma raiz se alimenta e cresce livre

      Após um concurso para estudantes denominado Escola do Samba, formamos o Grupo Quintal para enviar nossa proposta e difundir nossas ideias de locais adequados a essa manifestação da cultura popular.

     Obtivemos grandes resultados pondo em ação a ideia do professor Ricardo Medrano de criar um evento para a Semana Viver Metrópole, no qual tivemos a oportunidade de debater com docentes e discentes o espaço do samba na cidade e apresentar como deveriam ser esses lugares através do nosso olhar.

 O quintal é um colo de mãeNosso quintal é de Ciata, nossa mãe
 O quintal que virou praça e que hoje passa a ensinar                                     
O quintal que virou praça e que hoje passa a ensinar 

     Entre os convidados, estavam a jornalista e profunda conhecedora do samba paulistano Aurora Seles, Rafael Falanga, presidente da escola de samba Mocidade Unida da Mooca, e Caik Mano, mestre da bateria da mesma escola, além da transmissão por vídeo do depoimento do carnavalesco Marco Aurélio Ruffin.

     O debate começou com uma abordagem histórica da formação do samba na cidade de São Paulo, que se mistura e acompanha a expansão e urbanização da maior cidade do país.

Será meu quintal o Brasil em forma de aquarela?                                        Onde as ondas coloridas nos levam a caminho do nosso porto seguro?    Antes do apagar da vela                                                                                Posso ouvir o som do cair dos muros

     A revisão dos espaços das quadras, suas respectivas funções sociais, o trabalho dos artistas que produzem as alegorias e fantasias, as estruturas dos galpões, a contribuição do arquiteto: estas foram pautas que trouxeram à tona uma série de questionamentos de sambistas para arquitetos e vice-versa.

     Ao final, pudemos concluir que há uma necessidade de enxergar a escola de samba como ponto referencial de um bairro ou comunidade, podendo ela ser o meio entre o poder público e as pessoas. Além do lazer e convívio que proporciona, o samba é lugar de encontro e tem muito a ensinar a todos sobre a apropriação adequada de espaços públicos e seu acolhimento pela população em geral.

 Nosso quintal tem raízes fortes,                                                                           É nó na madeira, tem cheiro de lar                                                         Entrelaço-me pela "Jaqueira que não vai tombar"                                             Piso nas "folhas secas caídas de uma Mangueira!                                             E é debaixo da Tamarineira que me repouso tranquilo sob a luz do luar.

Como as sementes da tamarineira, o Grupo Quintal nasce como um coletivo de estudantes de arquitetura e urbanismo, aspirante a escritório de projetos, que traz consigo a vontade de debater os espaços públicos e o desenvolvimento cultural.

Nesta segunda edição, buscamos ser mais objetivos e descobrir como fazer a arquitetura e o urbanismo serem usados como ferramenta de transformação em três frentes: legislação, viabilidade e projeto.

 O meu quintal se ilumina sob a sombra que teima em nos cercar               Nos guia como um farol, seu cenário é beleza                                              Transforma a escuridão em sol


Notas

 Texto produzido com trechos de poema retirado de publicação original em Re-Publica - Um quintal para a pequena Africa


Sobre o autor

Grupo Quintal é um coletivo formado por Gustavo Vicente Pereira, Igor Cabral e Matheus Fukugawati, discentes de arquitetura e urbanismo da FAU Mackenzie, focado em discussões e projetos voltados ao mundo do samba, responsáveis pelas mesas de discussão "A Cidade e o Samba" da Semana Viver Metrópole.